CleopatraMoon

Um Mundo à parte onde me refugio e fico ......distante mas muito próxima.

A minha fotografia
Nome:
Localização: LISBOA, Portugal

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” Sou alguém que gosta de descobrir e gosta de se descobrir. Apontamento: Gosto que pensem que sou parva. Na verdade não o sou. Faço de conta, até ao dia em que permito que percebam o quanto sou inteligente.

online

quarta-feira, maio 14, 2008

Faz hoje 10 anos que Sinatra morreu
.
Na vida fez tudo à sua maneira.

Um pouco como todos nós , ou todos nós um pouco como ele.
A Cleopatra, também à sua maneira decidiu mudar.
Com a Ajuda do Pedro Um excelente Designer (!!!) e um homem muito mas muito paciente,
lá mudei de casa.

Agora estou aqui
-
para quem quiser morar ao lado ou ao pé é só linkar o novo endereço.
Até já.


MEIA NOITE A HORA H

Havia uma canção do Zeca Afonso sobre os Vampiros
Dizia a certa altura que eles vinham pela calada da noite. Na letra da música eles comiam tudo e não deixavam nada..
Agora aumentam os combustíveis sempre pela meia noite.
Ontem mais um aumento.
Será todas as próximas semanas assim?
Até não deixarem nada?
-
O presidente da Anarec, Augusto Cymbron, que estranha mais este aumento, argumentando que não há justificação para tal uma vez que o barril de petróleo é vendido em dólares e para o futuro.
Para o presidente da Anarec a desvalorização da moeda norte-americana face ao euro compensa a subida do preço do barril sendo essa razão suficiente para que os aumentos não se justifiquem.
-
ORA BEM ME PARECIA!!
-
O presidente da Anarec, Augusto Cymbron, não cala a sua revolta e ontem mesmo em declarações à RTP não deixou de criticar mais esta posição das petrolíferas.
“Se calhar, este aumento serve para compensar a descida do IVA em um por cento”, lembrou Augusto Cymbron ao mesmo tempo que recordou que os lucros das petrolíferas continuam a aumentar. “A BP no primeiro trimestre obteve um lucro 63 por cento superior ao de igual trimestre do ano passado”, disse.
“É escandaloso que as subidas continuem a este ritmo”.
RTP

-

Este ao menos não tem papas na Lingua!!!
-

A propósito de republicar

Ah!!!! Como eu gostaria de ter escrito isto!!

Meu querido amor da minha vida, e eu que tanto queria escrever-lhe uma carta que a acompanhasse, como um espécie de mapa que nos dissesse respeito, só a nós, para cada um de nós saber, a cada momento, onde é que o outro está e como está.
...

-----------Vasco Graça Moura in “Meu amor, era de noite”

Tropa só para o Bom Tempo

"Caminhamos a passos largos para só ter "tropa de bom tempo",se atentarmos que no dia 21/4 a cerimónia do render da guarda no Palácio de Belém,não teve lugar por ameaça de aguaceiros.Dizem que estraga os instrumentos da banda e os cavalos, do ainda Regimento de Cavalaria (parece haver alguma relutancia em o passar a chamar pela designação ridicula de "Unidade de Segurança e Honras de Estado"), podem escorregar..."
-

João J.Brandão Ferreira
Tcorpilav (ref.)

Etiquetas:

(Pintor - Carlos Teixeira- Meia Noite)


"Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali..."

Cântico Negro - Poemas de Deus e do Diabo- José Régio

Etiquetas:

El Traste

EL TRASTE Dirección: Avenida General, 37 Localidad: Madrid Distrito: Ciudad Lineal Metro: Barajas Teléfono: 913293799 Reservas: 902 104 143
Cozinha Italiana
Restaurante super simpático com caricaturas giríssimas de pessoal conhecido.
perto do aeroporto.
Sítio simpático
Atendimento simpático
Ambiente intimista
Vale a pena conhecer.
Não fumadores! Óptimo.
Experimentem
Aeroporto de Barajas... e é só procurar.

Etiquetas:

Ou de como eu costumo dizer:





- O Amor é como o Chocolate, não tem de fazer sentido.
"Elogio ao amor "


"Há coisas que não são para se perceberem. Esta é uma delas. Tenho uma coisa para dizer e não sei como hei-de dizê-la.
Muito do que se segue pode ser, por isso, incompreensível. A culpa é minha.

O que for incompreensível não é mesmo para se perceber. Não é por falta de clareza.
Serei muito claro. Eu próprio percebo pouco do que tenho para dizer. Mas tenho de dizê-lo.

O que quero é fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade.
Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão.
Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito.
Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado.
Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido.
Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama.
Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria.
Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em "diálogo".

O amor passou a ser passível de ser combinado.
Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões.
O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem.
A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível.
O amor tornou-se uma questão prática.
O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.
Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço.
Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje.


Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do "tá bem, tudo bem", tomadores de bicas, alcançadores de compromissos,bananóides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas.

Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo?

O amor é uma coisa, a vida é outra. O amor não é para ser uma ajudinha.
Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso "dá lá um jeitinho sentimental".

Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso.
Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada, abraços, flores. O amor fechou a loja.

Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade. Amor é amor.
É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é para nos compreender, não para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode.

Tanto faz.
É uma questão de azar. O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto.

O amor é uma coisa, a vida é outra. A vida às vezes mata o amor.
A "vidinha" é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino.

O amor puro é uma condição.
Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe.

Não é para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma.
É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária.
A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser.

O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida.
A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre.

Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente.
O coração guarda o que se nos escapa das mãos.
E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem.

Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver
sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz.

Não se pode ceder. Não se pode resistir.

A vida é uma coisa, o amor é outra.
A vida dura a Vida inteira, o amor não.

Só um minuto de amor pode durar a vida inteira.
E valê-la também."

Miguel Esteves Cardoso




Um texto fantástico!

Etiquetas:

domingo, maio 11, 2008

MATOSFERREIRA
GALERIA DE ARTE

-
Na quarta-feira, dia 14 de Maio, pelas 20 horas,
será inaugurada a Exposição de Pintura (óleo s/tela)
e Escultura (pedra e titânio)
A LESTE NADA DE NOVO -
da artista
MARIA DE SÃO PEDRO,
-
Será servido um PORTO de honra.
A referida mostra estará patente ao público até ao domingo, dia 15 de Junho.
O horário de funcionamento da Galeria é de terça-feira a sábado, das 19 às 2 horas e aos domingos e feriados das 15 às 20 horas.
-
A Galeria Matos Ferreira situa-se em pleno Bairro Alto, em Lisboa, mais precisamente na Rua Luz Soriano, Nº 18.

.

SABOR A MI ...............Luis Miguel


Pequim, 17 Abr (Lusa)
-
A China vai construir um novo aeroporto na região do Tibete onde ocorreram as manifestações contra a administração chinesa na região, anunciou hoje a agência oficial chinesa.
Hummm, fiquei a pensar em Alcochete...também é um sítio entalado entre vales e colinas...e tem natureza à volta... e a escolha é resultado, dizem, de um recuo do Governo...Fiquei a pensar....
Hummm...Não vou entrar em estado de Nirvana garanto...mas estou em meditação...
-
ACCB

Curso: Novos desafios do direito de trabalho, Dias 9, 10, 16 e 17 de Maio, no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra
2º Curso do Programa de Formação Avançada Justiça XXI
-
Novos desafios do direito de trabalho
9, 10, 16 e 17 de Maio de 2008 -
Centro de estudos Sociais, Coimbra
-
Local de realização do curso
Centro de Estudos Sociais, Colégio de S. Jerónimo / Apartado 3087 / 3001-401 Coimbra, Portugal
Tel. +351 239 855 570 / Fax +351 239 855 589 / E-mail:
ces@ces.uc.pt


Em 9 de Maio de 1950 nasceu a Europa comunitária, numa altura em que, a perspectiva de uma terceira guerra mundial angustiava toda a Europa.
As primeiras linhas da declaração de 9 de Maio de 1950, redigida por Jean Monnet, comentada e lida à imprensa por Robert Schuman, Ministro dos Negócios Estrangeiros da França, dão imediatamente uma ideia da ambição da proposta de uma Europa Unida:
"A paz mundial não poderá ser salvaguardada sem uma criatividade à medida dos perigos que a ameaçam". "Através da colocação em comum de produções de base e da instituição de uma Alta Autoridade nova, cujas decisões ligarão a França, a Alemanha ( -a gestão, sob o controlo de uma autoridade independente, do mercado do carvão e do aço- ) e os países que a ela aderirem, esta proposta constituirá a primeira base concreta de uma federação europeia, indispensável à preservação da paz".
-
Que tipo de Europa queremos hoje?

COMO DIRIA O NUNO ROGEIRO: - VALE MUITO A PENA LER
-
O futuro da globalização

Teodora Cardoso


Afinal o Mundo não é plano. O livro de Thomas Friedman é uma ilusão para quem pensa que sabe tudo de mercados e esquece a realidade dos mesmos.
-

sábado, maio 10, 2008

VAI CHOVER NO FIM SEMANA
click to comment



Carolina do Norte

Trabalhar no calor da noite não é trabalhar num submundo. Submundo é o futebol na Carolina do Norte. E na Carolina do Norte não fica bem a um homem dizer que está triste, mas pode ser velho... se tiver dinheiro! Durante 6 anos o mundo parou na Carolina do Norte. Foi bonito e vai de divulgar os bilhetinhos mais apaixonados que são deixados pela manhã junto à cabeceira da cama. Na Carolina do Norte o amor é grande, trabalha-se no calor da noite continua-se no calor da noite e, durante seis anos não se sabe que o homem com quem se vive é casado. Na Carolina do Norte o homem que se ama deixa a mulher amada quando ela está doente. E é na Carolina do Norte que quem não tinha nada, chega ao Tribunal de carro topo de gama e chauffeur, casaco de pele inchado, penso que pele de coelho, não sei, e um ar de estrela de cinema apoplético. Na Carolina do Norte também há aparelhos de detecção de escutas e há meninas para reuniões com árbitros antes dos jogos. As ou os Bexigas passam mal e ....e pronto não digo mais nada. Provavelmente na Carolina do Norte termina tudo da mesma maneira a Carolina do Norte fica conhecida e sai em notícia ou muda para o Além - Tejo e torna-se a Carolina do Sul. ( Americanices!)
Mas que raio que me havia de dar para escrever...

Com tanta Carolina do Norte por aí...e eu a falar da Carolina do Norte!...

-
ACCB


Encontrados restos do palácio da rainha de Sabá

Arqueólogos alemães encontraram os restos do palácio da lendária rainha de Sabá na localidade de Axum, na Etiópia, contribuindo assim para desvendar um dos maiores mistérios da humanidade, anunciou hoje a Universidade de Hamburgo .
E a Arca da Aliança?
-
(Hummm concorrência??!!)
Dizem que o Rei Salomão se apaixonou por ela....
Não faz mal eu tive um Imperador e um General e Politico Romano...-

PSP
-
Não é um jogo de miúdos é uma profissão de risco.


Os nossos policias dizem que estão fartos. Que lhes foi prometida uma coisa e cumpriram outra. Que pensavam reformar-se aos 56 e nada! Que a profissão é de desgaste rápido e risco acrescido; que passam a vida em constante stress e o resultado são depressões e reformas antecipadas; que ganham mal; que ninguém lhes dá valor; que lhes tiraram a força... . Em resumo, a nossa polícia quer respeito.
Na verdade quando imagino os telefonemas constantes, a actuação constante pela noite dentro (enquanto dormimos), os riscos de andar armado e os riscos de não poder usar a arma ou de a usar, os riscos do confronto...da morte súbita...
E...pergunto: -
E estarão todos preparados para ele? Para o confronto?
E o vencimento que auferem cobre o risco e compensa o mesmo?
A nossa Policia é uma Policia criada para a Segurança Publica...
É o que lhe exigem? É o que lhe estão a pedir?
-
O confronto diário com pessoas de trato "fácil e obediente" será causa de depressões e desgaste?
-Eu acho graça quando os nossos professores se queixam de um miúdo de 10 anos e dizem que não podem discipliná-lo porque ele perturba uma turma simplesmente pela razão de ter soltado uma gargalhada parva e mais afoita e, toca de o pôr na rua sem assistir à aula.
Palavra que gostava de ver alguns numa sala de audiências em contacto directo com rufiões do piorio...Teriam mão para eles?
E na rua em detenções como faziam? Expulsavam-nos da rua porque não obedeciam à ordem de detenção e,... deitavam-se no chão a chorar?!
É que nas escolas e porque existe o ensino obrigatório entra de tudo.
Embora a senhora ministra diga que as escolas são o lugar mais seguro da sociedade, a sociedade anda na escola...Então como formamos a sociedade menor?
-
Afinal o que é que está mal?
De quem é o problema de quem disciplina ou de quem é disciplinado?
Afinal onde reside o busílis da questão da desarrumação social?
Afinal a Policia é mal paga para os riscos que corre, os professores correm menos riscos do que julgam e a autoridade é mal administrada e ministrada... Que se passa?
Andamos todos em risco?
-
ACCB

Há dias de conversa ao almoço, passou-se de repente para um tema que não abordo com frequência, nem sequer abordo. O Suicídio entre os jovens.


Não creio que a nossa sociedade sofra muito com esta questão. Nem me apercebi ainda de que fosse uma questão ou um tema a tratar urgentemente. Não tenho mesmo presente que assim seja.


Acho é que a maioria dos jovens vive um mundo muito próprio, mas eu também tinha o meu.


Uma das presentes que é professora, saltou para o livro de Goethe - "O sofrimento do jovem Werther."


Outra comentou que toda a história era uma amálgama de angústia e obcessão , outra perguntou se não seria uma forma de libertação.
Fiquei curiosa. Eu ainda não li o livro e a questão deixou-me de "orelha no ar".
A professora teimava que os jovens se matam por amor.
Eu teimava que se o faziam já tinham tendência para o fazer quer por amor quer por qualquer outra razão.
Alguém argumentava que era preciso coragem.
Eu argumentava que era uma forma de chamar a atenção e, de repente alguém disse:
- Foi uma forma que ele encontrou para resolver o problema.
Ficamos todos calados...................
- Resolver o problema ?- perguntei - Ou arranjar um problema pior e pôr-se a milhas?
Todos escandalizados!!!
-Já leste o livro?
- Não... mas parece-me que os problemas não se resolvem dessa maneira!
- Como resolves os teus?
- Sei lá, falo deles até à exaustão...
-Tens quem te oiça..
-Tenho quem me oiça... sim...os amigos salvam , nunca ouviste dizer?! - rematei sorrindo.
-E quando ninguém nos ouve?
- Só se não procurarmos ninguém!!!- resmunguei. - Esse livro não é aquele que deixou familias desesperadas? Não é aquele que até parece incitamento e ajuda ao suicídio??
Abismados com os olhos postos em mim!!!!!!!

OK OK. Vou comprar o livro.

Ao que me dizem é uma obra única que fala de um amor impossível, do dinheiro burguês que tudo compra e da angústia atormentada de um apaixonado. Usando uma estética narrativa mais próxima do leitor, em forma de cartas, a história é contada através dessas cartas a um amigo, que assim como a grande maioria dos leitores, apenas escutou as dores do apaixonado Werther.

Eu ainda argumentei que, em vez de escrever devia ter falado...
Mas os olhares estavam furibundos. Como é que eu podia pensar assim???
-
ACCB

"Algumas vezes não posso compreender como Carlota ama outro homem, como se atreve a amá-lo; quando só eu a amo tão ternamente, tão completamente; quando eu nada conheço, nada sei, nada possuo, senão ela" Werther, in Carta 56 - também do autor de Fausto

Vou ter de ler mesmo. Afinal Romeu e Julieta também morreram de amor e parece que há mais ,... não há?!!

Ontem à noite em Belém também cantou e envolveu

BRAGAPassear por Braga tem que se lhe diga. Mais ainda se for uma manhã de Primavera a anfitriã.
O Monte do Bom Jesus não é muito diferente de Sintra em aroma e cor , sons e arquitecturas .
Na verdade faz lembrar Sintra, quer nas curvas que se descem pela estrada, quer nos caminhos que arriscamos a fazer a pé por entre pólens. ( Um risco! )
E não nego que o sorriso rasgou o meu rosto por entre lembranças antigas de casas senhoriais que aqui e ali espreitavam a cada descida.
Da janela do meu quarto logo à direita uma capela serena e silenciosa , altiva e perfeita, olhara-me como que a dizer:
- Já acordada?
E a quem é que não apetece acordar em Braga numa manhã de Primavera , ouvir os pássaros ao desafio em conversas parlamentares e cantorias desenfreadas, a quem é que não apetece abrir as pesadas portadas de madeira e soltar os vidros da janela, inalar a manhã e acreditar que depois de uma noite merecida num quarto igualzinho ao dos meus avós mas com todas as mordomias do meu tempo, o dia vai ser promissor ?!
E não é que foi ?!
-
ACCB


Agora é Passado


Agora é passado - o feliz agora
Quando junto caminhámos
Sob o ramo do carvalho da floresta
E a natureza disse que nos amávamos.

A rajada do Inverno
O agora desde então rastejou
Por entre nós e separou-nos.
Invernos que murcharam todo o verde
Gelaram o bater do coração.

Agora é passado.


Agora é passado desde que por último nos encontrámos
Sob o ramo da aveleira;
Antes que o sol da tarde se pusesse
A sombra dela estendeu-se sobre a terra.
A rajada do Outono
Manchou e definhou cada ramo;
Morangos silvestres como os lábios dela
Deixaram os musgos verdes do chão
E a flor que ela tinha sobre as ancas.

Agora é passado.


Agora é passado, mudado e envelhecido,
As florestas e os campos estão pintados de novo.
Morangos silvestres que ambos colhemos então,
Nenhum de nós sabe agora onde cresciam.
O céu está nublado
Os morangos desapareceram da entrada da floresta
Todas as folhas verdes se tornaram amarelas;

Adelaide já não percorre os caminhos da floresta,
O amor verdadeiro não tem com quem deitar-se.

Agora é passado.

John Clare

(1793-1864)

NOUS LES FEMMES ;))

Garou avec Julio Iglésias et Dany Brillant - Vous Les Femmes

sexta-feira, maio 09, 2008

QUIA AMO
São oito da noite e tu não chegas.
Continuo sentado à beira-rio enquanto lá em cima, na vila, a cal se despede do sol que só voltará amanhã.
O ar tépido beija-me a pele e o silêncio veste-se das pequenas intermitências de uma rã que salta para o rio ou de dois patos que recolhem à margem. São anos de cartas que trago na mão embrulhadas por um cordel velho.
Eu, que quis gritar a liberdade, prendo agora a minha vida com um cordel... Uma das cegonhas desce do cimo da torre e paira sobre o rio, voando rente à água e cruzando-me a vista por duas vezes. A tarde cheira a feno e a águas mansas.

Tu não chegas e eu começo a temer que não me dês a oportunidade de te oferecer a minha vida assim, amarrada com um cordel.

É feita de papéis amarelecidos mas escritos com tanto amor. O Guadiana sopra baixinho murmúrios de amores passados e a tarde abraça-me com ternura. Não sei se vens.

Também não sei se te devo entregar estas cartas. A quem interessam as epístolas de um advogado de 26 anos?
Levanto-me e deixo que o sol se recolha no Guadiana em privacidade. O meu corpo é demasiado profano para aqui continuar presente. Se chegares já não me encontrarás. E se não me encontrares é porque já chegaste tarde. As cartas ficam. Não esperam por ti sentadas à beira-rio. Antes se dissolvem nas águas mansas entre farrapos do crepúsculo.
-

click to comment



"Sócrates admite existirem muitos motivos de censura "


quinta-feira, maio 08, 2008

Extreme - More Than words
.


Saying I love you
Is not the words I want to hear from you
Its not that I want you
Not to say, but if you only knew
How easy it would be to show me how you feel
More than words is all you have to do to make it real
Then you wouldnt have to say that you love me
Cos Id already know

What would you do if my heart was torn in two
More than words to show you feel
That your love for me is real
What would you say if I took those words away
Then you couldnt make things new
Just by saying I love you

More than words

Now Ive tried to talk to you and make you understand
All you have to do is close your eyes
And just reach out your hands and touch me
Hold me close dont ever let me go
More than words is all I ever needed you to show
Then you wouldnt have to say that you love me
Cos Id already know

What would you do if my heart was torn in two
More than words to show you feel
That your love for me is real
What would you say if I took those words away
Then you couldnt make things new
Just by saying I love you

More than words

.


Etiquetas:

click to comment
-
“Um amor feliz precisa do turbilhão das palavras, das frases aparentemente inúteis e sem sentido, precisa de adjectivos, de elogios, do ruído das banalidades. ”
-
In Nada é mais perigoso que o silêncio

terça-feira, maio 06, 2008

-

na questão do interesse dos jovens pela actividade política.
*
O alheamento da juventude não pode deixar de nos preocupar a todos,
a começar pelos agentes políticos.
A começar por vós, Senhores Deputados.
*
Se os jovens não se interessam pela política é porque a política não é capaz de motivar o interesse dos jovens.
*
Interrogo-me que efeitos daqui resultarão para o governo de Portugal
num futuro não muito distante.
-

Cavaco Silva - Presidente da República

domingo, maio 04, 2008

-

Universidade do Minho, Braga, Campus de Gualtar, Complexo Pedagógico II, Auditório B1, terça-feira, 06-05-2008
No dia 06 de Maio, a Escola de Direito da Universidade do Minho e a Associação de Juízes pela Cidadania promovem uma Conferência subordinada ao tema
"O Lado Humano do Julgar".

Evento Aberto ao Público
_*_

9.45H - Intervenção de Abertura pelo Presidente da Escola de Direito,
Prof. Doutor Luis Couto Gonçalves
10.00H - 1º Painel
A Convicção Íntima do Julgador
Juiz Conselheiro Dr. Fernandes Magalhães -
A Base Argumentativa da Decisão Judicial
Profª Doutora Clara Calheiros, Escola de Direito da Unversidade do Minho -
Juízes-Deuses, Soberanos ou Profissionais?
Dr. João Pedroso, Investigador no Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
11.15H - Debate moderado por Prof. Doutor Mário Ferreira Monte, Vice-Presidente da Escola de Direito da Universidade do Minho
12.30H - Pausa para Almoço

_____________________________________
14.30H
Os Juízes não são como os Outros ?
Juíza Desembargadora Dra. Adelina Barradas de Oliveira, Tribunal da Relação de Lisboa -
Uma Visão Teológica do Julgar Humano
Prof. Doutor José Paulo Abreu
Vigário Geral e moderador da Cúria Eclesiástica de Braga, Doutor em História da Igreja e Licenciado em Direito Canónico -
Julgar, Acertar e Errar: O Contributo da Psicologia par a Busca da Verdade
Prof. Doutor Rui Abrunhosa, Instituto de Educação e Psicologia da Univesidade do Minho
15.45H - Debate moderado por Dr. Óscar Ferreira Gimes, Advogado e Presidente da Associação Jurídica de Braga -
16.15H -
Intervenção de Encerramento pelo Presidente da Associação de Juízes pela Cidadania
Juiz Desembargador e Mestre em Direito, Dr. Rui Rangel, Tribunal da Relação de Lisboa
_*_

Etiquetas:

click to comment


A minha filha diz-me:
- Cheiras tão bem!
E eu pergunto:
- A que cheiro?
E ela responde:
- Cheiras a Mãe!
-
( a minha filha tem 14 anos)
-
O Meu filho declara-se-me em papelinhos que vou encontrando por aí:

- Mãe sabes que gosto muito de ti. Amo-te muiiiitoooo. Tu sabes não sabes?
-
( o meu filho tem 10 anos )
-
DIA DA MÃE
-
Bom dia Mãe

Etiquetas:

sábado, maio 03, 2008

Quando Um Homem tem a coragem de reconhecer :)
-





Contigo aprendí,
que existen nuevas y mejores emociones.


-
Contigo aprendí
a conocer un mundo lleno de ilusiones.

Aprendí
que la semana tiene más de siete días
a hacer mayores mis contadas alegrías
a ser dichoso yo contigo lo aprendí.



Contigo aprendí
a ver la luz del otro lado de la luna.



Contigo aprendí
que tu presencia no la cambio por ninguna.


-
Aprendí que puede un beso ser mas dulce
y mas profundo


-
que puedo irme mañana mismo
deste mundo
las cosas buenas ya contigo las viví


y contigo aprendí
que yo nací el día en que te conocí...
.


quinta-feira, maio 01, 2008

Hoje apetece-me escrever em voz baixa.

Já alguma vez vos deu para escreverem em voz baixa? Baixinho, num murmúrio, como uma Avé Maria que se reza ao pôr do sol ao som dos sinos da igrejinha do adro numa tarde de alentejo?!

Hoje apetece-me escrever em voz tão baixa que não oiças nunca mais o que tenho para dizer.
Escrever em voz tão baixa que o traçado da caneta no papel apareça esbatido, como se a tinta tivesse mil anos...
Escrever em voz tão baixa que só possas ler o que escrevo quando eu morrer....
Será que se pode escrever em voz baixa?
Quem ama pode tudo. Até esconder-se nas letras que escreve em voz baixa e desaparecer na escrita como um pequeno ponto final ou três pontos plenos de reticências...

Hoje apetece-me escrever em voz baixa porque há três dias que ando a escrever um texto em voz muito alta.
Estou cansada...Acho que vou dormir depois de escrever em voz baixa.
-
ACCB

Etiquetas:

__________