CleopatraMoon

Um Mundo à parte onde me refugio e fico ......distante mas muito próxima.

A minha fotografia
Nome:
Localização: LISBOA, Portugal

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” Sou alguém que gosta de descobrir e gosta de se descobrir. Apontamento: Gosto que pensem que sou parva. Na verdade não o sou. Faço de conta, até ao dia em que permito que percebam o quanto sou inteligente.

online

sábado, maio 10, 2008

VAI CHOVER NO FIM SEMANA
click to comment

6 Comentários:

Blogger Pecadormeconfesso disse...

Então se vai chover porque te fazes ao caminho na mesma?

10 maio, 2008  
Blogger Cleopatra disse...

Porque eu sou do grupo das poucas pessoas que não tem medo de caminhar à chuva!Nunca passo pelos intervalos e gosto do cheiro a terra molhada. Sou assim meio...Pois... Coisas da minha cabeça!:-)

10 maio, 2008  
Blogger OUTONO disse...

Já que vais andar à chjva, leva o MP3 e ouve ....

Chuva - de Mariza

As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir



Há gente que fica na história
Da história da gente
E outras de quem nem o nome
Lembramos ouvir



São emoções que dão vida
À saudade que trago
Aquelas que tive contigo
E acabei por perder



Há dias que marcam a alma
E a vida da gente
E aquele em que tu me deixaste
Não posso esquecer



A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera



Ai... meu choro de moça perdida
Gritava à cidade
Que o fogo do amor sob chuva
Há instantes morrera



A chuva ouviu e calou
Meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade


BFS

Bjs.

10 maio, 2008  
Blogger Cleopatra disse...

E já agora o Cavaleiro Monge de que também gosto muito.

Do vale a montanha
da montanha o monte
cavalo de sombra
cavaleiro monge
por casas por prados
por quintas por fontes
caminhais aliados
do vale a montanha
da montanha o monte
cavalo de sombra
cavaleiro monge
por pinhascos pretos
atras e de fronte
caminhas secretos

do vale a montanha
da montanha o monte
cavalo de sombra
cavaleiro monge
por prados desertos
sem ter horizontes
caminhais libertos
caminhais libertos
caminhais libertos

do vale a montanha
da montanha o monte
cavalo de sombra
cavaleiro monge
por indios caminhos
por rios sem ponte
caminhais sozinhos
do vale a montanha
da montanha o monte
cavalo de sombra
cavaleiro monge
por quanto é sem fim
sem ninguém que o conte
caminhais em mim

do vale a montanha
da montanha o monte
cavalo de sombra
cavaleiro monge
por prados desertos
sem ter horizontes
caminhais libertos
sem ter horizontes
caminhais libertos

cavalo de sombra
cavaleiro monge
por quanto é sem fim
sem ninguém que o conte
caminhais em mim
aaai, cavaleiro monge
por pinhascos pretos
por rios sem ponte
caminhais em mim

10 maio, 2008  
Blogger Aran disse...

Por aqui ainda não chove...
Tb eu gosto de sentir o cheiro da terra molhada!
E as melhores alturas são estas, quando depois da chuva, o sol irrompe trazendo-nos em força o aroma dela!

Jinhos

10 maio, 2008  
Blogger Cleopatra disse...

Por aqui choveu e está frio. O meu mar está cinzento e o céu é um espelho.
Aí sentada vais-te constipar. Não esperes pelo comboio Aran.

11 maio, 2008  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

__________