CleopatraMoon

Um Mundo à parte onde me refugio e fico ......distante mas muito próxima.

A minha fotografia
Nome:
Localização: LISBOA, Portugal

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” Sou alguém que gosta de descobrir e gosta de se descobrir. Apontamento: Gosto que pensem que sou parva. Na verdade não o sou. Faço de conta, até ao dia em que permito que percebam o quanto sou inteligente.

online

segunda-feira, março 31, 2008

A Culpa



A culpa não, não é do Sol
Se o meu corpo se queimar
A culpa não, não é do Sol
Se o meu corpo se queimar
A culpa é da vontade
Que eu tenho de te abraçar

A culpa não, não é da praia
Se o meu corpo se ferir
A culpa não, não é da praia
Se o meu corpo se ferir
A culpa é da vontade
Que tenho de te sentir

A culpa é da vontade
Que vive dentro de mim
E só morre com a idade
Com a idade do meu fim
A culpa é da vontade

A culpa não, não é do mar
Se o meu olhar se perder
A culpa não, não é do mar
Se o meu olhar se perder
A culpa é da vontade
Que eu tenho de te ver

A culpa não, não é do vento
Se a minha voz se calar
A culpa não, não é do vento
Se a minha voz se calar
A culpa é do lamento
Que sufoca o meu cantar

A culpa é da vontade
Que vive dentro de mim
E só morre com a idade
Com a idade do meu fim
A culpa é da vontade

Música e letra de António Variações / Humanos

9 Comentários:

Blogger Pecadormeconfesso disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

31 março, 2008  
Blogger Pecadormeconfesso disse...

A culpa é da vontade. É natural, se não houver vontade, não há culpa.É preciso haver dolo ou negligência. Não é assim? Mas nesta coisas não sei se a negligência funciona.

31 março, 2008  
Blogger Apache disse...

Não conhecia. Bom poema.

31 março, 2008  
Blogger Narrador disse...

Pois...a culpa...sempre mortífera.

Kiss Imperatrice!

31 março, 2008  
Blogger AnaGarrett disse...

A culpa é toda nossa.
Afinal... somos humanos.

31 março, 2008  
Blogger Francisco Castelo Branco disse...

Ai a culpa lol...

Esse sentimento....

31 março, 2008  
Blogger OUTONO disse...

"A culpa não, não é do vento
Se a minha voz se calar
A culpa não, não é do vento
Se a minha voz se calar
A culpa é do lamento
Que sufoca o meu cantar"

Falemos do autor e compositor.
Um caso raro de "novidade estranha", na música portuguesa, à altura, "novidade plena", próxima do seu desaparecimento, e "novidade saudade", hoje com a sua ausência.

António Variações, sabia os caminhos que trilhava, e sabia também que iria percorrê-los efemeramente. Daí a sua vontade, em dizer presente, com denúncia e presságio de momentos finais, ser tão forte e íntima, que a sua veia criativa, ainda hoje, após o seu desaparecimento, nos traz novidades.
Se não fossem os Humanos, seriam outros humanos, a tocar e cantar as Variações...do António, como um dia ( infelizmente ) um crítico teve a ousadia de comentar, trocando o seu nome artístico

"A culpa é da vontade
Que vive dentro de mim
E só morre com a idade
Com a idade do meu fim
A culpa é da vontade"

31 março, 2008  
Blogger Aran disse...

Existe sempre uma vontade que nos move... ;)

Jinhos

31 março, 2008  
Blogger Cleopatra disse...

Coitada da culpa. Ainda por cima, dizem que morre solteira.

01 abril, 2008  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

__________