CleopatraMoon

Um Mundo à parte onde me refugio e fico ......distante mas muito próxima.

A minha fotografia
Nome:
Localização: LISBOA, Portugal

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” Sou alguém que gosta de descobrir e gosta de se descobrir. Apontamento: Gosto que pensem que sou parva. Na verdade não o sou. Faço de conta, até ao dia em que permito que percebam o quanto sou inteligente.

online

quinta-feira, junho 28, 2007

9 mm
Hoje continuo a comer chocolate , só não tinha cá morangos, mas ... estou preocupada...
Preocupada com a segurança "do pessoal"...
Falemos a sério: estou preocupada com a segurança publica.
Governo vai equipar GNR e PSP com pistolas Glock - 9 mm.

O ministério da Administração Interna decidiu que a austríaca Glock de 9 mm é a melhor pistola para as forças de segurança e deu-lhe a vitória no concurso.
Sabem que arma é esta?
Sabem como funciona?
Sabem como é segura?
Claro que sabem que dispara e dispara munições 9 mm.
A segurança ou patilha de segurança desta arma, fica localizada no gatilho. É uma pequena lingueta que aparece à frente. Ou seja, para ser disparada, basta pressionar a tal lingueta juntamente com o gatilho, e com um único movimento.

Após o primeiro tiro não é necessário deixar o gatilho e sua respectiva segurança ir todo o seu curso para a frente, segurando-o um pouco para que todos os disparos subsequentes sejam efetuados da mesma forma.
É esta a arma certa para ser utilizada por forças de segurança?
Ou será uma arma para forças especiais?
Querem fazer da GNR e da PSP forças especiais?
Eu acho bem.
Mas, primeiro o treino e depois as armas.
As forças de segurança andam na rua... em contacto directo com a população...Apontam-lhes o dedo porque agem demasiado rápido por vezes...Actuação facilitada por estas armas de certeza...
Curioso é saber que umas das marcas excluídas, a Walther, interpôs uma providência cautelar para suspender o concurso, mas o tribunal ficou convencido dos argumentos expostos pelo Governo.
O secretário de Estado da Administração Interna, José Magalhães, invocou ‘‘interesse público’’. Eu sinceramente não vejo o interesse público aqui protegido. Nem o das forças de segurança!
Para o MAI, ‘‘o armamento ligeiro da GNR e da PSP é basicamente constituído por pistolas de calibre 7.65 mm de diferentes modelos e marcas, e com uma média de utilização de cerca de trinta anos, o que acarreta sérios problemas de logística, ao nível da formação, da operação e da manutenção, que se traduzem em elevados encargos financeiros’’.

Isto é verdade.

(...) ‘‘o armamento obsoleto e envelhecido, é desadequado para o cumprimento da missão policial. Essa desadequação, além de salientada pelas forças de segurança, foi apontada num estudo efectuado pela Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) que recomendou, nesse estudo, a utilização de pistolas com calibre de 9 mm’’.
Também é verdade.

Mas não há outra arma 9mm com outro tipo de segurança?? Mais segura? Mais vocacionada para as forças de segurança?
Em que a patilha de segurança não funcione com o gatilho? Com uma patilha de segurança autónoma ao gatilho?!
-

ACCB

Etiquetas:

19 Comentários:

Blogger João disse...

Concordo consigo. Aproveitando a boleia:
1º Responda ao que escrevi sobre o jantar, porque (alguns vão se desculpar com as férias) e se ele não se realizar a culpa é só da egípcia rainha
2º Quanto ao projecto Sorrisos como não tenho o seu mail é possível falar com a Ni?

Bom-Dia, joão

28 junho, 2007  
Blogger HarryHaller disse...

Armas de fogo!? Prefiro chocolates e morangos e ver dançar.

Bom dia cleo

Fernando

28 junho, 2007  
Blogger Kalinka disse...

Tema importante...
muito bem pensado e escrito,
pena é que os orgãos competentes não leiam muitas das coisas que se escrevem nos blogs.
Estou de total acordo consigo.

Entretanto...estamos no Verão, e isso significa muita agitação.
Foi assim que a minha última semana se passou - é só eventos importantes; o lançamento do 1º livro do Amigo Augusto, do blog Klepsidra;
a exposição de pintura da Amiga Margusta e, para a semana terminar em beleza, queria muito ir ao lançamento do livro do Amigo Mário...mas, não vai dar, pois é em Vila Nova de Gaia.
Depois de ter recebido os convites...decidi pôr-me a caminho.
Fui conhecer o bar/restaurante Ondajazz - Travessa Arco de Jesus,7 - Campo das Cebolas.
Venham comigo a uma espécie de visita guiada.

Abraços.

28 junho, 2007  
Blogger António Lisboa Gonçalves disse...

Cleo:

O sistema de que fala (safe-action)foi efectivamente patenteado pela Glock, mas hoje em dia os principais fabricantes têm sistemas similares (Walther, Beretta, etc.).
O facto de ter ou não ter "patilha de segurança) a meu ver acaba por não ter relevância prática sendo que a principal segurança da arma é, em primeira instância, o seu utilizador, o seu treino e a sua capacidade de reacção em situações reais. É que, as pistolas actuais permitem, quase todas, "dispensar" a sua utilização como é o exemplo da Beretta com o sistema "half-cock". Quem é portador de uma arma em serviço, sabendo que em qualquer momento terá necessidade de a utilizar, tem que agilizar todo o processo da sua utilização, sob pena de com tanta medida de segurança, já não conseguir efectuar o disparo em tempo útil.
Concordo, que tem que se ter em atenção a utilização por parte da força a equipar, é diferente a pistola para os GOE da pistola para a PSP ou GNR, mas não penso que no caso concreto das Glock seja uma má opcção em virtude do seu sistema de segurança.
A Glock equipa muitas forças policiais similares à nossa PSP e GNR e ao que sei as razões invocadas pela Walther são de outra natureza.
De qualquer modo a situação actual é que me inquieta verdadeiramente e seguramente preocupa os próprios agentes a quem é atribuída uma pistola 7,65 mm e ainda por cima com muitos anos ao serviço. Já é mais do que tempo de equipar as Forças de Segurança ditas "normais" com armas actuais, seja a Glock ou outra marca, as diferenças de características das 9 mm actuais não são significativas, mas de nada servirá se a Formação não passar a ser efectiva, deixando de se fazer, quando se faz, tiros ao alvo uma vez por ano para efeitos estatísticos, sendo que a maior parte dos agentes nunca efectuou sequer, o tiro institivo essencial a quem anda na "rua".

P.S- Pessoalmente prefiro a Beretta!

28 junho, 2007  
Blogger António Lisboa Gonçalves disse...

Esqueci-me de dizer que tmabém gosto muito, mas mesmo muito de chocolates e de morangos!!!
bjs

28 junho, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

A Beretta é uma arma que, a ser actualizada - 9mm e 7,62, sendo arma de guerra também e estando actualizada tem um sistema de segurança preferível ao que me parece.

O sistema de segurança ideal é aquele em que o polegar do atirador é que manipula ou manuseia a segurança...e não o indicador que o manuseia antes de premir o gatilho.

Nãpo me parece que a arma escolhida seja segura quer para as forças de segurança, quer para a segurança publica........


Se quer que lhe diga , eu, para mim, prefiro sem dúvida a 6,35.
Mas esta é uma arma de defesa. Não é própria para forças militares ou militarizadas.

28 junho, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

E de dançar António?!

28 junho, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

Olá João. EStava a ver que me esquecia de lhe responder.
Estou a ver que o jantar tem de ficar para Setembro.
O final de ano Judicial, quer o Sr. Mnistro queira quer não é sempre confuso e, com Juízes a meterem férias desencontrados ainda pior.
Assim ,não sei como fazer.
faço uma postagem em Setembro e vamos todos jantar e DANÇAR! Claro!

28 junho, 2007  
Blogger António Lisboa Gonçalves disse...

Percebo a sua perferência pelo 6,35, deixe-me pensar... e prefere tb a Walther, a PPK ( do Bond, James Bond) pequena, eficaz e para quem aprecia armas, com um desenho e ergonomia agradável!
Mas até como arma de defesa, 6,35 mm não assegura grande confiança devido ao seu fraco poder derrubante.

Infelizmente e como sou mau dançarino (mesmo péssimo e com uma grande inveja do Fred que nunca superei verdadeiramente) fico-me só pelos chocolates e morangos!

28 junho, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

Sim...uma arma que cabe na minhamão... que é pequenina, na mala no meio dos batons e etc...
serve apara mim.
Também não quero matar ninguém!!!

28 junho, 2007  
Blogger Apache disse...

Ainda bem que já “falaram” os especialistas, agora já pode aparecer um leigo a dizer disparates.
Conheço poucas armas e pistolas “de mão” ainda menos. E o meu interesse por armas tem mais a ver com o gosto por tudo o que é tecnologia, por isso, acabo por perder mais tempo a “olhar” para catálogos de brinquedos maiores.
No entanto, deixo a minha modesta (e talvez incorrecta) opinião.
Serão necessárias armas de 9 mm para as forças de segurança? Uma senhora dispara com precisão uma arma com tão significativo “recuo”?
Quando fiz o SMO costumava “brincar” com uma velhinha Walther de 9 mm e reparava como os camaradas menos dotados muscularmente tinham grande dificuldade em disparar o 2º tiro, depois da força exercida nos pulsos pelo primeiro, normalmente demoravam cada vez mais tempo para apontar de novo e a precisão diminuía a cada tiro, devido ao rápido cansaço. E certo que hoje as pistolas são mais leves devido ao uso de ligas metal/plástico, mas o “recuo” de uma arma de grande poder derrubante é muito significativo, sobretudo para uma senhora.
Mas esta questão do calibre não tem nada a ver com o fabricante…
Quanto à segurança destas Glock, tenho de facto muitas dúvidas.
Não conheço nenhuma Walther com este tipo de segurança, mas não estou a dizer que não exista, o António parece-me ser conhecedor do assunto, mas há vários modelos com a clássica patilha na lateral esquerda da arma.
Com este género de segurança, só conheço a XD, do fabricante americano, Springfield.
Acho que apesar da protecção ao gatilho feita pelo “guarda-mão”, se o dedo lá for tocar acidentalmente a segurança desactiva-se em simultâneo com o disparo, se assim for, na minha opinião não há segurança, uma vez que basta o mesmo “gesto” para desactivar a segurança e efectivar o disparo.

Não sei em que moldes decorreu o concurso, mas não percebo porque não se dá preferência à indústria portuguesa, mesmo que se partisse do ponto zero da concepção. Portugal facturou num passado recente muito dinheiro coma venda da espingarda G3 e das pistolas FBP e posteriormente Lusa. Agora parece que nos contentamos com o negócio das munições e pequenos explosivos. Sinceramente não compreendo.
Já agora, a minha preferência vai para chocolate e morangos, no entanto se me quiserem oferecer uma “pistola de mão” (sem ser na condição de ter de matar alguém), e como não devo escolher uma politicamente incorrecta (vinda do Leste) fico-me pela Walther P99 DAO da polícia alemã, ou em segunda preferência por uma Sigma da Smith-Wesson, e podem chamar-me clássico.

Já agora, uma provocação… Acho que se decidiram pelas Glock, porque estão na moda, passa à noite por um bairro “de lata” e lá vem alguém a fazer um assalto com uma. As forças especiais parece que também gostam muito delas, ora nestas coisas, nada melhor que polícias e ladrões com o mesmo equipamento, todos diferentes, todos iguais, Lol.

Ah, falta a opinião do Manza, que, neste caso, vale por três.

Bolas, há gajos que quando não têm nada para dizer, escrevem que se farta…

29 junho, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

""Já agora, uma provocação… Acho que se decidiram pelas Glock, porque estão na moda, passa à noite por um bairro “de lata” e lá vem alguém a fazer um assalto com uma. As forças especiais parece que também gostam muito delas, ora nestas coisas, nada melhor que polícias e ladrões com o mesmo equipamento, todos diferentes, todos iguais, Lol.""

Até ponho duplamente entre aspas porque merece destaque o comentário com ou sem LOL.

"Acho que apesar da protecção ao gatilho feita pelo “guarda-mão”, se o dedo lá for tocar acidentalmente a segurança desactiva-se em simultâneo com o disparo, se assim for, na minha opinião não há segurança, uma vez que basta o mesmo “gesto” para desactivar a segurança e efectivar o disparo."

Nem mais. Tal qual um revolver, uma Magnum. E não estou a falar de gelados.



E falta cá a opinião do Manza sim senhor.

29 junho, 2007  
Blogger M@nza disse...

Olá Apache e Cleo
Este assunto é deveras muito interessante, uma vez que estamos perante a alteração do actual armamento das Forças de Segurança (armas de 7,62mm calibre para armas de 9mm de calibre).
Actualmente verifica-se que 9 mm é o calibre ideal para fazer frente às "redes" criminosas com arsenais, quase sempre, mais sofistcados que as Forças de Segurança (aliás já se verificou em algumas situações e com prejuízo para as nossas forças). As balas de calibre 7.65 mm são consideradas inadequadas para a função policial. Segundo os especialistas em armamento, trata-se de um projectil sem força.
De entre os vários tipos de armas deste calibre (9 mm) há que saber escolher e por isso, são geralmente integrados em grupos de trabalho elementos “especialistas” que dada a sua experiência, visarão a escolha da arma que melhor poderá servir os interesses, tanto do utilizador como da Instituição (PSP, GNR). Muitas vezes verificamos que os interesses postos em 1º lugar são, quase sempre, os do comprador (neste caso o Governo) invertendo-se as prioridades.
Neste caso, as marcas das armas que entraram em concurso, são: a GLOCK 19 (Austriaca), a P30 e a USP Compact da HK (Alemã), a IWI Jericho RSL (Israelita), a Sig Sauer Pro 2022 (Suiça) e a Beretta PX4 Storm (Italiana).
Para melhor as conhecermos, deixo aqui algumas das principais características de cada uma.
• Começando pela Glock 19 (Austríaca) é uma arma Semi-automática Compacta que equipa actualmente algumas Forças de Segurança (cerca de 50 países) sendo muito popular entre elas, pela sua versatilidade e facilidade de utilização.
Todas as Glock estão equipadas com o mecanismo “Safe Action” embutido no gatilho que assim impede o disparo acidental. O utilizador para efectuar o disparo terá que exercer primeiro uma pressão, entre os 2 e os 5 Kg , no gatilho para a “armar”, digamos assim, colocando-a na posição de fogo. Assim só da 2ª vez que premir o gatilho ela dispara. No entanto se para de carregar no gatilho ela volta a ficar em “Safe”. Para se iniciar o disparo teremos que efectuar novamente o “armar”.
Mas, existe sempre um mas, acontece que uma das regras impostas pelo concurso era a de que a arma deveria vir equipada com patilha de segurança, que neste caso não existe por a segurança ser feita no gatilho.

A P30 da HK é de fabrico Alemão, semi-automática, calibre 9 mm, pesa 740 gramas e tem uma capacidade de carregar até 15 munições.
É a mais recente criação alemã da companhia Heckler und Koch Gmbh. Considerada pelo fabricante como a arma ideal para a Polícia e também uma óptima arma de defesa-pessoal.
O seu sistema de “armar” e “desarmar” encontra-se na parte traseira junto ao “cão”, o que a torna mais “segura” que a anterior Glock19 (teria de ser feito um grande esforço de “mentalizar” os agentes e prepara-los para este tipo de segurança. Coitados dos “nervosos”.

• A Jericho é de fabrico Israelita, semi-automática, calibre 9 mm, pesa cerca de 1 Kg gramas e tem também a capacidade de carregar até 15 munições. Pessoalmente acho-a uma pouco desactualizada, visto ser uma arma dos anos 90 e na altura “clone” da conhecida arma Checoslovaca CZ-75. (Não a adquiriria de certeza. É como ter um Skoda para comprar e oferecerem-me um Trabant com motor VW.) Quanto a mim não é adequada às nossas forças de Segurança. Talvez como arma de arremesso. (risos)

• A história da Sig começa quando a industria Schweizerische Geshellschaft adquire as patentes de um projectista de armas francês e projecta a pistola P-210, em 1948, considerada pelos especialistas como uma das melhores armas já construídas.
A Sig Sauer Pro 2022 é uma arma de precisão Suiça associada à tecnologia alemã, semi-automática, calibre 9 mm, pesa cerca de 800 gramas e tem uma capacidade de carregar até 17 munições. A segurança desta arma é efectuada no gatilho. Com a patilha em segurança mesmo que o cão esteja armado não dispara.
Esta é a “minha” arma preferida, mas… . É de fácil utilização e tem uma grande precisão de tiro.
Esta arma foi adoptada pela polícia francesa, com alterações, em 2003.
.
A Beretta é de fabrico Italiano, semi-automática, calibre 9 mm, pesa cerca de 760 gramas e tem a capacidade de carregar até 16 munições
O seu design não tem apenas uma função estética - que cumpre muito bem - como também tem um carácter funcional: a arma não possui ângulos rectos externos, e com isso diminui a probabilidade de se prender em roupas ou qualquer outro objecto.
- A PX4 Storm é um dos mais recentes modelos de pistolas semi-automáticas da marca.
.
Claro que não pretendo dar aqui uma lição sobre armamento, ou mesmo sobre armas, até porque não sou especialista mas apenas dar a conhecer um pouco sobre as armas que o Governo pretende comprar para as Forças de segurança (Polícia e GNR)
.
A minha escolha, por ordem de preferência, seria:
1- Sig Sauer Pro
2- Glock 19
3- P30
4- Beretta
5- Jericho
.
Se já é conhecido o "vencedor" do concurso, agora só resta formar um grupo de polícias e GNR's no seu manuseamento em segurança que posteriormente irá dar formação a todos os elementos das Forças de Segurança dando-lhes a conhecer como se efectua ao tiro. (cada militar deve efectuar pelo menos tiro duas vezes por ano; o ideal seria mensalmente, mas o orçamento não o permite.

30 junho, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

Qto à questão das armas obrigada pela colaboração...
Fico mais sossegada...Mesmo assim gostava de experimentar uma..


É que eu sou daquelas que ...VER PARA CRER

Isto dizia eu em comentário mais abaixo.
E espero que realmente possamos todos ficar mais sossegados.
è a opinião de um homem... de alguém que percebe mais disto que eu.

Sabe? eu não gosto muito de armas... e tenho receio de andar na rua com gente armada e nervosa, precipitada e conflituosa...
É , aqui sim, uma mistura explosiva.

Muito pior que morangos, e vinho branco do bom, ou chocolate e morangos,...e dançar...

Treino é que as forças de segurança precisam ter, para que nos sintamos seguros e eles também.

Não me agrada nada , como Juiz, desatar a julgar elementos ou agentes das forças de segurança que se precipitam e armam o cão antes do tempo.

Pois... a ver vamos!

30 junho, 2007  
Blogger António Lisboa Gonçalves disse...

"Sabe? eu não gosto muito de armas... e tenho receio de andar na rua com gente armada e nervosa, precipitada e conflituosa..."

Eu até gosto muito de armas, assim como gosto muito de computadores, de Direito, de motas , de carros, de máquinas fotográficas, de relógios, de morangos, de chocolate, de gelados, e por aí fora.
Confesso que também tenho receio de muita gente que anda por aí e seguramente, não é só por andarem armadas, é pelo que estão dispostos a fazer aos outros.

Esta questão da segurança de qualquer arma e independentemente de ter ou não patilha de segurança (são várias as marcas que a dispensam)tem aver com a formação de quem a utiliza, a mim sempre me foi dito e ao longo de anos de instrução ministrada sobre armamento, de que "o diabo até com um pau dispara" e a assuimir que uma arma está sempre pronta a disparar.
Sobre o treino de tiro, não bastam sessões calendarizadas do clássico tiro ao alvo sobre a supervisão de monitores devendo diversificar-se o tipo de tiro com percursos de alvos móveis, etc. Hoje em dia é possivel recorrer às novas tecnologias, utilizando simuladores de cenários com elevado grau de realismo, onde se testam não só os procedimentos de tiro, mas também níveis de capacidades do atirador.
Como aqui foi referido, a questão da escolha do calibre entre 9 mm ou inferior, nos dias de hoje não se coloca, sendo aceite de modo consensual, que os 9 mm correspondem ao que se pretende para a maioria das operações policiais ( com excepção de alguns tipos de forças especiais ) principalmente devido a dois factores, o seu poder derrubante e a eficácia a maior distância.

Bom fim de semana, com muitos chocolates e morangos!

30 junho, 2007  
Blogger Apache disse...

Muito bons, estes comentários do Manza e do António Gonçalves.
Esta “estória” do calibre renova a discussão do “será que o tamanho conta? Na Europa são os 9 mm e nos Estados Unidos o .40 (10,16 mm). É como os automóveis, atravessamos o Atlântico e o tamanho torna-se (ainda) mais importante. Por mim, é mais um mito que outra coisa, como os coletes à prova de bala, que são à prova de muita coisa, mas de bala não.
Bom fim-de-semana.

30 junho, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

"Mas, existe sempre um mas, acontece que uma das regras impostas pelo concurso era a de que a arma deveria vir equipada com patilha de segurança, que neste caso não existe por a segurança ser feita no gatilho."

Nem mais , voltando às armas...

e... eu ainda não estou convencida da segurança das maesmas, 5kg no gatilho , exerço em facilmente numa Magnum.

Fiquemo-nos então pelos morangos / chocolate/ dançar e ...quem sabe, ...Paris.

30 junho, 2007  
Blogger M@nza disse...

Cleo
É necessário muito treino para "fzer" fogo com um magnum. Olha que não é fácil, mas.. gostava de ver.
O facto de se exercer uma pressão no gatilho para a armar não significa que o agente esteja sempre a pressionar o gatilho para a armar.
Quando efectua uma operação (claro que depende do tipo de operação e do "poder" que o "alvo" tem.
Há algumas operações que basta levar o dedo perto do gatillho e estar pronto a arma-lo caso necessário e há também aquelas operações que quando entramos nela a arma deverá estar armada e aí sim é o tudo por tudo.
A preparação do elemento de segurança é fundamental para o uso da arma. unão basta ter carta de condução para conduzir um carro de competição, não acham, é preciso prática e teoria para se pde obter o máximo rendimento e potência do bólide. Assim é com o armamento, não basta saber dar um tiro, é necessário muita prática, nem que seja recorrendo à tecnologia como referiu e bem o António L Gonçaves.
.
Esperemos por isso que seja qual for a arma que o governo escolha que seja boa e dê confiança e segurança a quem a vai usar.

01 julho, 2007  
Blogger Rui @t Blog disse...

Interessante, tanto mais que pouca gente saberá disso.
Obrigado.

02 julho, 2007  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

__________