CleopatraMoon

Um Mundo à parte onde me refugio e fico ......distante mas muito próxima.

A minha fotografia
Nome:
Localização: LISBOA, Portugal

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” Sou alguém que gosta de descobrir e gosta de se descobrir. Apontamento: Gosto que pensem que sou parva. Na verdade não o sou. Faço de conta, até ao dia em que permito que percebam o quanto sou inteligente.

online

segunda-feira, fevereiro 04, 2008


Pido Silencio

AHORA me dejen tranquilo.
Ahora se acostumbren sin mi.

Yo voy a cerrar los ojos

Y solo quiero cinco cosas,
cinco raices preferidas.

Una es el amor sin fin.

Lo segundo es ver el otoño.
No puedo ser sin que las hojas
vuelen y vuelvan a la tierra.

Lo tercero es el grave invierno,
la lluvia que ame, la caricia
del fuego en el frio silvestre.

En cuarto lugar el verano
redondo como una sandia.

La quinta cosa son tus ojos,
Matilde mia, bienamada,
no quiero dormir sin tus ojos,
no quiero ser sin que me mires:
yo cambio la primavera
por que tu me sigas mirando.

Amigos, eso es cuanto quiero.
Es casi nada y casi todo.

Ahora si quieren se vayan.

He vivido tanto que un dia
tendran que olvidarme por fuerza,
borrandome de la pizarra:
mi corazon fue interminable.

Pero porque pido silencio
no crean que voy a morirme:
me pasa todo lo contrario:
sucede que voy a vivirme.

Sucede que soy y que sigo.

No sera, pues, sino que adentro
de mi creceran cereales,
primero los granos que rompen
la tierra para ver la luz,
pero la madre tierra es oscura:
y dentro de mi soy oscuro:
soy como un pozo en cuyas aguas
la noche deja sus estrellas
y sigue sola por el campo.

Se trata de que tanto he vivido
que quiero vivir otro tanto.

Nunca me senti tan sonoro,
nunca he tenido tantos besos.

Ahora, como siempre, es temprano.
Vuela la luz con sus abejas.

Dejenme solo con el dia.
Pido permiso para nacer.


Pablo Neruda

Etiquetas:

6 Comentários:

Blogger Pecadormeconfesso disse...

Experimentei as flores em baixo Obrigado Cleo.É girissimo o jogo.

05 fevereiro, 2008  
Blogger Pecadormeconfesso disse...

Temos renovação Cleopatra?
Que vamos renovar?

05 fevereiro, 2008  
Blogger Luís disse...

Neruda é... FENOMENAL!

05 fevereiro, 2008  
Blogger Cleopatra disse...

Neruda é relamente fenomenal Ele e Eugénio de Andrade sabem dizer o que sentem e como é sentir. São homens inteiros Que sorte que para além disso ainda são poetas.

05 fevereiro, 2008  
Blogger M@nza disse...

uM DOS MEUS PREFERIDOS

06 fevereiro, 2008  
Blogger Cleopatra disse...

Também um dos meus preferidos Manza.

Conheces os "Versos do Capitão"?

Quando eu tinha 18 anos alguém me ofereceu " Vinte poemas de Amor e uma canção desesperada". Na altura não percebi porque o fizera.
Agora sei porque o fez. Coitado!!

07 fevereiro, 2008  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

__________