CleopatraMoon

Um Mundo à parte onde me refugio e fico ......distante mas muito próxima.

A minha fotografia
Nome:
Localização: LISBOA, Portugal

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” Sou alguém que gosta de descobrir e gosta de se descobrir. Apontamento: Gosto que pensem que sou parva. Na verdade não o sou. Faço de conta, até ao dia em que permito que percebam o quanto sou inteligente.

online

domingo, novembro 18, 2007


Amo-te tanto meu amor... não cante

O humano coração com mais verdade...

Amo-te como amigo e como amante

Numa sempre diversa realidade.

Amo-te enfim, de um calmo amor prestante

E te amo além, presente na saudade.

Amo-te, enfim, com grande liberdade

Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente

De um amor sem mistério e sem virtude

Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde

É que um dia em teu corpo de repente

Hei de morrer de amar mais do que pude.



(Vinicius de Moraes)

4 Comentários:

Blogger Roberto Ivens disse...

NOS CUS DE JUDAS, diário de um Tuga por terras de Angola.
http://www.cus-judas.blogspot.com

18 novembro, 2007  
Blogger Ni disse...

Tira o fôlego, Vinicius...
...
..

É perante poemas como este que ainda me rendo à evidência de que o amor (feliz) é possível...

Raro... muito raro... mas possível.

18 novembro, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

É verdade NI.
E não há amor se não for feliz.
Muita gente não sabe é amar.
Um bj amiga.

18 novembro, 2007  
Blogger Pecadormeconfesso disse...

Hei-de morrer de amar.

21 novembro, 2007  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

__________