CleopatraMoon

Um Mundo à parte onde me refugio e fico ......distante mas muito próxima.

A minha fotografia
Nome:
Localização: LISBOA, Portugal

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” Sou alguém que gosta de descobrir e gosta de se descobrir. Apontamento: Gosto que pensem que sou parva. Na verdade não o sou. Faço de conta, até ao dia em que permito que percebam o quanto sou inteligente.

online

sexta-feira, março 14, 2008

Michael Clayton Ou uma questão de consciência.
-


Michael Clayton é um advogado que perdeu a identidade. Tem por colega um advogado mais velho que, como ele diz é um lenda - Arthur.
Arthur o advogado que lidera o caso da empresa, a KLB, que ambos representam e defendem, angustiado com a culpa, sabota o mesmo.
A KBL está a gerir um processo multimilionário de uma empresa de agroquímica, a U/North, que parece encaminhar-se para um brilhante desfecho do qual depende o posto da consultora legal Karen Crowder ambiciosa e que não olha a meios para atingir o que pretende.
Michael pensa que o colega está louco. Mas quando Arthur aparece morto e o carro de Michael vai pelos ares, a desconfiança instala-se.

Insatisfeito com o rumo da sua vida, tem de defender a KLB devido a insucessos pessoais (divórcio e problemas de dinheiro), decide investigar o que o colega já investigava.
A pesquisa inicia-se e descobre que o colega fora assassinado e porquê. Vai até ao fim e, contra o esperado mesmo já depois de receber um bónus da firma por esquecer provas apresentadas contra esta, o advogado não permite que ganhem o caso à custa de sacrificios dos lesados.

Michael Clayton é um indivíduo igual a tantos outros, com defeitos mas bem formado , e que o mundo e as pessoas magoam por vezes.

Destaque para o desempenho do Clooney, ( não por ser um dos homens mais bonitos do cinema )mas pela sua representação da personagem, homem falhado, insatisfeito consigo, que se revê no filho ainda pequeno criança determinada e inteligente, e que dá uma volta ao seu percurso desmembrando o engano que lhe tinham imposto calar.
Também um destaque para o argumento e a forma lenta, ( como o é a personagem que Clooney desempenha), apresentado ao espectador gota a gota, até à compreensão e ao desfecho necessários.

Uma frase fica:
Who are you?
I'm Shiva, de God of the dead
!
-
O filme foi nomeado para sete Óscares arrecadando apenas um: Tilda Swinton, Óscar de melhor actriz secundária que sinceramente, não creio que mereça.
-
ACCB

Etiquetas:

5 Comentários:

Blogger M@nza disse...

“I’m not a miracle worker… I’m a garbage man.”

Um excelente filme a não perder.
Realmente Cleo, também acho que a Tilda Wilson não deveria, não digo que merecia, não deveria taer ganho o óscar dfe melhor acriz secundária.
O papel interpretado pelo Tom Wilkinson, o advogado "louco", merecia mais.

14 março, 2008  
Blogger Pecadormeconfesso disse...

Ainda não vi, mas vou ver. O meu problema é que como sou advogado ele faz-me sempre muita concorrência. Já só lhe falta beber o Nexpresso onde eu bebo.

15 março, 2008  
Blogger Cleopatra disse...

Concordo contigo Manza o papel interpretado por Tom Wilkinson merecia mais atenção.

15 março, 2008  
Blogger Cleopatra disse...

Pecador...parecido com ele?? Na profissão?

15 março, 2008  
Blogger DarkMorgana disse...

Vi e gostei!
Se bem que me pareça que o George Clooney anda a deixar crescer as bochechas!
Quanto à melhor actriz secundária, concordo.

15 março, 2008  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

__________