CleopatraMoon

Um Mundo à parte onde me refugio e fico ......distante mas muito próxima.

A minha fotografia
Nome:
Localização: LISBOA, Portugal

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” Sou alguém que gosta de descobrir e gosta de se descobrir. Apontamento: Gosto que pensem que sou parva. Na verdade não o sou. Faço de conta, até ao dia em que permito que percebam o quanto sou inteligente.

online

quarta-feira, dezembro 05, 2007


Eu nem queria falar disto, não fosse alguém dizer que eu até gosto de ... pois... e tal...

Mas fecharem a ginginha, a Velha ginginha do Rossio, foi assim como deixarem as duas fontes do Rossio sem água e rodeadas de pedregulhos, que já o fizeram várias vezes.

Lembram-se quando retiraram as floristas?? Lembram-se quando secaram as fontes? Lembram-se quando puseram por lá "umas coisas" uns caixotes a "embelezar " a Praça D. João IV?
Pois é. De quando em vez os PC de Lisboa lembram-se de ter assim como que umas ideias luminosas e vai de mudar tudo.

E quando "trancaram" a rua do Chiado com blocos brancos e estáticos, frios e impessoais?? E quando os carros dos bombeiros não puderam passar por causa deles no dia do terrível incêndio do Chiado?

Agora foi a Ginginha. Porque não tinha WC.
Pois claro! Se aquilo ainda fosse uma cervejaria, eu até percebia... o pessoal bebe e precisa de..pois claro que é diurético....eheheh.
Agora a Ginginha?
Só porque há um "papelinho" de 1982 que de repente ressuscitou a dizer" precisa ter WC" e os senhores da ASAE, avisados e cumpridores foram lá a correr. E aquelas casas de banho impraticáveis que existem am alguns restaurantes de Lisboa, não vão?? Pois.

E já agora que pensa o senhor Presidente da Câmara de Lisboa fazer com os sanitários públicos da Praça do Rossio que estão fechados ao mesmo público...Não deviam estar a funcionar??
Ah pois, não funcionam por causa dos exibicionistas que lá se metem. Dos "TSs" que para aí andam E "a gente " tem de tomar uma bica para fazer um chichi. Pois.

Olhe, porque não coloca uma casa de banho daquelas em que se vê tudo para fora e nada para dentro junto da Ginginha???!

A tradição já não é mesmo o que era!

-
ACCB
Fica aqui um pedacinho da nossa tradição.
Junto ao arco de bandeira
Há uma loja tendinha
De aspecto rasca e banal
Na história da bebedeira
Ai, aquela casa velhinha
É um padrão imortal

Velha taberna
Nesta Lisboa moderna
É da tasca humilde e terna
Que mantém a tradição
Velha tendinha
És o templo da pinguinha
Dois dois brancos, da ginginha
Da boêmia e do pimpão

Noutros tempos, os fadistas
Vinham, já grossos das hortas
Pra o teu balcão returrar
E inspirados, os artistas
Iam pra aí, horas mortas
Ouvir o fado e cantar
-
Letra de Amália Rodrigues, ao que consta
Composição: Raúl Ferrão / José Galhardo

Etiquetas:

5 Comentários:

Blogger Cabral-Mendes disse...

A União Europeia há-de de acabar com tudo o que é diferente: os enchidos, o queijo da serra artesanal, o azeite, os vinhos que parece que querem que bebamos em copos de plástico...enfim, esta Europa está um bocejo!

Na minha casa não entra a ASAE que tenho cá um pistolão para os malandros...

06 dezembro, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

Xiii Cabral Mendes..Isso é homicidio premeditado, ou ofensas corporais com dolo de perigo, ou crime de ameaças???

07 dezembro, 2007  
Blogger Cabral-Mendes disse...

ameaças ameaças...a ver se eles desistem...

07 dezembro, 2007  
Blogger Cleopatra disse...

eheheh...
Qualquer dia sai uma notícia de 1ª Página assim:

Tiroteio no Rossio esta tarde.
AZAR alveja ASAE

O resto da notícia escrevo depois...
Até me apetecia!!

08 dezembro, 2007  
Blogger Pecadormeconfesso disse...

ASAE e AZAR.

Não dá para comentar na postagem de cima, mas gostava de dizer que adoro aquela música.
No entanto, ainda estou à espera de que outra mão prenda a minha. Não há nenhuma como a dela.

09 dezembro, 2007  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

__________