CleopatraMoon

Um Mundo à parte onde me refugio e fico ......distante mas muito próxima.

A minha fotografia
Nome:
Localização: LISBOA, Portugal

Sou alguém que escreve por gostar de escrever. Quem escreve não pode censurar o que cria e não pode pensar que alguém o fará. Mesmo que o pense não pode deixar que esse limite o condicione. Senão: Nada feito. Como dizia Alves Redol “ A diferença entre um escritor e um aprendiz, ou um medíocre, é que naquele nunca a paixão se faz retórica.” Sou alguém que gosta de descobrir e gosta de se descobrir. Apontamento: Gosto que pensem que sou parva. Na verdade não o sou. Faço de conta, até ao dia em que permito que percebam o quanto sou inteligente.

online

sábado, janeiro 19, 2008




este poema começa por te comparar com as constelações, com os seus nomes mágicose desenhos precisos,e depois um jogo de palavras indica que sem ti a astronomia é uma ciência infeliz.


Em seguida, duas metáforas introduzem o tema da luz e dos constrastes petrarquistas que existem na mulher amada,no refúgio triste da imaginação.


A segunda estrofe sugere que a diversidade de seres vivos prova a existência de Deus e a tua, ao mesmo tempo que toma um por um os atributos que participam da tua natureza e do espaço criador do teu silêncio.


Uma hipérbole, finalmente, diz que me fazes muita falta


Pedro Mexia

1 Comentários:

Blogger Fernando disse...

Brutal!

23 janeiro, 2008  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

__________